• Novembro Azul PET: Entenda sobre a prevenção de câncer de próstata em cães

    Quando os animais não são castrados, a próstata pode sofrer modificações por conta de hormônios e desenvolver o câncer. Com a idade, os hormônios dos testículos começam a funcionar de forma irregular, estimulando a próstata a sofrer um aumento de tamanho e de forma, além de modificações em sua textura.

    Normalmente, desenvolvem a doença os cães em idade adulta, acima de 8 anos de idade, não castrados, indiferente de raça e tamanho.

    Animais com a doença podem apresentar sinais clínicos, como: dificuldade para urinar ou defecar, problemas para se sustentar sobre os membros posteriores, infecção urinária e, em estágios mais avançados, infecções em múltiplos órgãos.

    O primeiro passo para diagnosticar a doença ainda é a partir de exames de rotina, embora não sejam comuns na medicina veterinária.

    A melhor forma de prevenção é a Orquiectomia: procedimento cirúrgico para a castração de cães e gatos do sexo masculino. Quanto mais cedo a doença for detectada, maiores serão as chances e a velocidade de cura do animal. Com a castração, a incidência de câncer de próstata diminui até 90%, além do controle de comportamento, quanto à marcação de território.

    A melhor forma de prevenir o câncer de próstata é a castração no primeiro ano de vida do animal.

    Esse tipo de câncer é raro em gatos. Entre os problemas mais comuns da glândula estão: hiperplasias benignas (aumento do tamanho), hiperplasias malignas (câncer), inflamações (prostatite), presença de cistos, etc.

    Leia mais
  • Você sabia que existe o Outubro Rosa Pet?

    O câncer de mama em cães e gatos é uma das patologias mais encontradas nas clínicas veterinárias, atingindo cadelas e gatas acima de 5 anos. Em felinos, o índice de neoplasia mamária é de 80%, enquanto que, em caninos, este índice alcança 60%, sendo os tumores geralmente de caráter maligno. Daí a importância da castração precoce. Quando a cadela e a gata são castradas antes do primeiro cio, entre 5 e 9 meses de idade, as chances de desenvolverem câncer de mama caem para 0,5%.

    Uma das principais causas do câncer de mama é o uso de anticoncepcionais em animais não castrados. Estes medicamentos nada mais são do que hormônios. Quanto mais hormônio circulante no organismo dos pets, maior a predisposição ao câncer de mama. Assim como nas mulheres, a prevenção pode ser feita pela palpação das mamas, embora o método mais recomendado seja a castração antes dos 5 meses, pois, quanto mais cedo ela ocorrer, menor será a chance de desenvolver tumor de mama.

    Cruzar a fêmea diminui a chance de desenvolver tumores de mama?

    Não, isto é mito! Quanto mais cedo for diagnosticado, maior é chance de cura. Se, ao palpar, notar um caroço (nem que seja pequeno, como um grão de arroz, por exemplo) procure imediatamente o médico veterinário! Não espere o nódulo aumentar!

    O tratamento geralmente é cirúrgico e, em alguns casos, pode ser feita a retirada de uma mama, de uma cadeia inteira de mamas (unilateral) ou até mesmo das duas cadeias (bilateral). Esta cirurgia recebe o nome de MASTECTOMIA. Os tumores, se malignos, como ocorre na maioria dos casos, podem crescer muito rapidamente, sendo os principais sintomas: dores, inchaço ou aumento das mamas, secreções escuras, caroços e até leite. Quanto menor estiver o tumor, menor a chance de metástase, que é quando o tumor se espalha para outros órgãos. Em alguns casos, pode haver a necessidade de quimioterapia depois da cirurgia, mas, diferentemente do que acontece com os humanos, o tratamento quimioterápico não causa tantos efeitos colaterais nos pets.

    Lembre-se: prevenir é sempre o melhor remédio!

    Leia mais