• Whey protein isolada para auxílio na diabetes

    Atualmente no Brasil, há mais de 13 milhões de pessoas diagnosticadas com Diabetes, representando 6,9% da população, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes. É considerada uma doença crônica, na qual se caracteriza pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia) devido ao corpo não produzir insulina ou não conseguir utilizar adequadamente a insulina que produz. A insulina é um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue e é produzida pelo pâncreas, órgão responsável por converter a glicose dos alimentos que consumimos em fonte de energia.

    Como pode ser diagnosticada? E o tratamento?

    A sede excessiva, diurese excessiva e glicemia obtida em valor maior que 200mg/dl, são sintomas característicos da Diabetes. Estes sintomas podem ser observados e são aceitos como critério importante para o diagnóstico da doença, que é capaz de ser monitorada através de um aparelho específico para teste rápido, muitas vezes manuseado pelo próprio paciente. Para confirmação do diagnóstico é preciso que o médico solicite alguns exames laboratoriais, como a Curva Glicêmica.

    Como citado acima, a insulina pode não estar sendo produzida ou não estar sendo empregada de maneira correta pelo organismo, e essa diferença caracteriza em Diabetes Tipo 1 e Tipo 2.

    A Diabetes Tipo 1 é quando o pâncreas não consegue produzir a insulina, pode ser hereditária ou adquirida na infância, e seu tratamento é feito com medicamentos, reposição de insulina e alimentação.  Já a Tipo 2 é quando o organismo não consegue utilizar a insulina produzida de forma correta ou não produz a quantidade suficiente, e em determinados casos, seu tratamento pode ser realizado com atividade física, alimentação e suplementação.

    Você sabia que a whey protein pode ser utilizada como suplemento para auxílio do controle da Diabetes Tipo 2?

     A whey protein é um suplemento rico em aminoácidos. Quando a ingerimos, eles são degradados nos tecidos musculares e, em seguida, ocorre o aumento da concentração plasmática de dois aminoácidos fundamentais em nosso organismo: a alanina e glutamina. Estes aminoácidos são transportados para o fígado para que a glicose seja produzida, estabilizando a glicemia em períodos de jejum e reduzindo a resposta da insulina após as refeições. Dessa forma, ao elevar as concentrações de proteínas do soro do leite, consequentemente ocorre a redução da liberação de insulina pós-prandial e potencializa a ação do fígado no controle da glicemia.  A whey protein pode auxiliar também no retardo do esvaziamento gástrico, redução do apetite e consumo de energia, como citado nos textos anteriores.

    Como podemos utilizar a whey protein isolada no dia-a-dia?

    Para manter a glicemia constante, a whey protein isolada pode ser dividida em 6 pequenas refeições, utilizando porções de 5g em cada refeição, em forma de shake de whey protein isolada, por exemplo, batido com uma banana ou outra fruta de sua escolha. É importante pedir orientação ao seu nutricionista ou médico para saber a quantidade mais indicada dentro de sua dieta.

    Embora sejam vários os benefícios da whey protein na dieta de diabéticos é necessário ficar atento às complicações que o mesmo pode trazer a sua saúde, devido à função renal que pode ser comprometida. É importante sempre estar em acompanhamento de um médico e nutricionista.

    Leia mais
  • Whey protein isolada como auxiliar do emagrecimento

    A obesidade pode ser considerada uma epidemia mundial. No Brasil, estudos apontam que a maioria da população está acima do peso. Entretanto, as estratégias comumente escolhidas para combater a obesidade são dietas hipocalóricas, que dificultam a adesão do paciente a um novo estilo de vida em busca do gerenciamento do peso.

    Já pensou em emagrecer consumindo proteína isolada do leite?

    A whey protein isolada é uma boa opção para ser incluída em novas estratégias de emagrecimento, pois é um alimento funcional que apresenta uma variedade de nutrientes como cálcio e aminoácidos. A presença desses aminoácidos ajuda na regulação das taxas de glicose e insulina pós prandial, ou seja, verifica-se a diminuição de suas taxas dosadas após uma refeição contendo a proteína. Dessa forma, ocorre uma diminuição na produção de novas células de gordura e no aumento das células já existentes. Além disso, os aminoácidos contidos na whey protein isolada auxiliam na manutenção da massa magra, quando existe perda de gordura, não permitindo que o metabolismo abaixe, mantendo o gasto energético elevado e potencializando a perda de peso.

    A proteína isolada do leite e seu efeito sacietógeno

    A whey protein isolada também age no aumento da saciedade, diminuindo a ingestão de calorias excessivas nas refeições seguintes. A melhor forma de se aplicar essa estratégia é usar a proteína antes das principais refeições, pois ela ajuda a retardar o esvaziamento gástrico e a aumentar a liberação de alguns hormônios ligados ao efeito supressor do apetite, como o CCK – colecistoquinina e o GLP-1 (do inglês – glucagon like peptide 1), aumentando a sensação de plenitude gástrica.

    Como utilizar a whey protein isolada

    Existem várias formas de se utilizar a proteína do leite. Shakes, smoothies com frutas, panquecas, pudins, bolos e pães são algumas delas. Escolha aquela que melhor se adeque ao seu dia-a-dia e ao seu paladar e enriqueça sua dieta com proteínas do leite. Converse com seu nutricionista e peça sugestões de receitas. Ele poderá te ajudar.

    Mas precaução é sempre bem-vinda

    Podem existir efeitos colaterais em dietas hiperproteicas (que contém quantidades elevadas de proteínas), como sobrecarga renal ou hepática. Por isso, se você possui algum tipo de problema nos rins ou no fígado, é recomendável que busque orientações com um profissional habilitado, como o nutricionista, antes de começar a ingerir proteínas, certo? Ele saberá determinar a dose ideal do produto para que você não coloque a sua saúde em risco.

    Leia mais
  • Suplementação de Proteína Isolada do Leite Para Atletas

    Você sabia que a Proteína Isolada é um dos suplementos mais utilizados na melhora do desempenho de atletas amadores e profissionais? Isso é possível porque a sua ação implica no aumento da síntese de proteínas da musculatura. Dessa forma, acontece o ganho de massa muscular, otimizando a resistência física e melhorando a performance do atleta durante a prática da sua atividade.

    Quando você ingere a whey protein Isolada, ocorre em seu corpo a sinalização de uma proteína importante, conhecida como mTor, que estimula a ação de fatores de crescimento responsáveis pelo ganho de massa muscular. Assim, se você, atleta, deseja aumentar o seu percentual de massa magra, a ingestão de Proteína do Leite Isolada é uma ótima opção, pois ela afeta diretamente a sinalização da mTor, dando início ao processo de hipertrofia muscular.

    Mas os benefícios para o atleta não param por aí!

    Além de proporcionar o anabolismo muscular, a suplementação da Proteína Isolada do Leite ainda auxilia na manutenção do peso e na redução de processos inflamatórios. Estudos científicos comprovam que a ingestão de whey protein isolada pode ajudar no controle do Índice de massa corporal, pois, além de promover saciedade, reduz os níveis de Interleucina-6 e de Proteína C reativa, que são moléculas causadoras de inflamações relacionadas com a obesidade e que podem resultar em ganho de peso ou, em casos mais graves, à resistência insulínica e o desenvolvimento do Diabetes mellitus do tipo 2.

    Sabe-se ainda que a Proteína Isolada do Leite ativa a ação e aumenta a expressão de uma importante substância que atua no processo regulador imunológico do nosso organismo, a Interleucina-10, importante agente na redução de ocorrências de processos inflamatórios.

    E o atleta recreacional também pode usar a proteína isolada do leite?

    Se você pratica atividade física disciplinadamente, por prazer, estética ou manutenção da boa saúde, sem necessariamente se encaixar nos padrões de um atleta profissional, pode sim fazer uso dos benefícios da whey protein isolada. O consumo deste suplemento após uma atividade aeróbica ou anaeróbica (musculação, por exemplo) evita o desgaste muscular e, consequentemente, a perda de massa magra, podendo prevenir lesões em sua musculatura e ainda auxiliar no ganho da massa muscular, se a hipertrofia for o seu objetivo.

    Como você deve escolher sua proteína isolada?

    Primeiramente, você deve realizar uma avaliação física e, se possível, um checkup em sua saúde para verificar as condições atuais do seu organismo para praticar a atividade ou o esporte a que se propõe. Um profissional habilitado pode analisar se há restrições em seu estado de saúde relacionado ao consumo da whey protein isolada, tendo em vista que disfunções ligadas ao metabolismo de proteínas podem impedir o uso deste suplemento. Em segundo lugar, você deve escolher uma Proteína Isolada do Leite de boa qualidade e ficar atento a informações importantes, como a sua procedência, o método de extração, se a mesma apresenta aditivos alergênicos, corantes ou outras substâncias que podem interferir na qualidade do suplemento. Lembre-se de que a escolha de uma boa proteína influencia diretamente no resultado desejado. Consulte um farmacêutico de sua confiança para auxiliar no processo da escolha.

    Qual a dose necessária para você melhorar seu desempenho?

    Como mencionamos no artigo anterior (se você ainda não leu, clique aqui!), a dose recomendada para ingestão diária de proteínas totais depende da intensidade de sua atividade física e do seu peso corporal. Então, se você é atleta de alta performance, a indicação diária de consumo de proteínas totais (de toda a dieta) é de 2,3g de proteínas por quilo de peso corporal, por dia. Entretanto, se você está iniciando a prática da atividade física e deixando o sedentarismo para trás, a indicação é de 0,8g de proteínas totais por quilo de peso corporal, ao dia. Com o auxílio de um nutricionista, a escolha da dose da suplementação da Proteína Isolada do Leite será adaptada de acordo com as necessidades do seu organismo e a quantidade total de proteína que ingere, diariamente. Sua dose pode ser dividida em 2 ou 3 tomadas ao longo do dia, para reposição gradual da proteína, ou logo após a prática da atividade física, para recuperação e hipertrofia musculares.

    Leia mais
  • O que você precisa saber para escolher a sua Whey Protein

    O que é Whey Protein?

    Whey protein é o nome em inglês para proteína do soro do leite ou proteína do leite. Como o nome já diz, trata-se de uma proteína extraída do leite bovino. Apresenta-se sob 3 formas diferentes: concentrada, hidrolisada e isolada. Todas elas são, na verdade, misturas de várias substâncias, principalmente: proteínas e aminoácidos (em maior quantidade), gorduras, carboidratos e minerais, mas a proteína isolada do leite é a que mantém a maior concentração de proteínas, além de ter um sabor relativamente agradável, sendo uma das mais utilizadas em todo o mundo.

    Dentre as proteínas e os aminoácidos presentes na whey protein, os principais são: valina, leucina, isoleucina (formadores do famoso trio BCAA), beta-lactoglobulina, alfa-lactalbumina, albumina de soro bovino, glutamina, lactoferrina, imunoglobulinas, lactoperoxidases e glicomacropeptídeos. Cada uma dessas substâncias possui efeitos diferentes e importantes no seu organismo.

    Esse suplemento serve pra você?

    A proteína isolada do soro do leite serve, principalmente, para facilitar o ganho de massa muscular, além de auxiliar no fortalecimento do nosso sistema imunológico (de defesa), no controle do apetite (e consequente emagrecimento), no aumento da absorção de ferro, na produção de hormônios e neurotransmissores como a serotonina, entre outros. Sendo assim, é indicada para uma boa variedade de pessoas, como atletas, idosos, crianças, diabéticos, pacientes que passaram por cirurgia bariátrica, pessoas adeptas à dieta low carb e pessoas comuns. Sim, dissemos pessoas comuns nos referindo àquelas pessoas que, em seu dia-a-dia, não conseguem fazer todas as refeições como é indicado e podem lançar mão da proteína do leite em substituição a pequenas refeições como o lanche da manhã ou da tarde.

    Mas a proteína do leite não pode ser utilizada indiscriminadamente!

    A ingestão da proteína isolada do leite também tem algumas restrições. Pacientes com problemas renais e/ou de fígado, por exemplo, apresentam restrições ao consumo de proteínas em geral, pois esses são os órgãos mais envolvidos no metabolismo e na eliminação das proteínas. Assim, se você se enquadra nesses casos, é essencial que procure a orientação do seu nutricionista ou do seu médico para ajustar as doses da proteína que vai usar.

    Pessoas com histórico de alergias frequentes também devem ficar atentas à composição dos produtos com proteína do leite disponíveis no mercado, pois muitos deles contêm, além da proteína em si, outras substâncias como lactose, conservantes, corantes, adoçantes, aromatizantes e flavorizantes (doadores de sabor), bastante conhecidas como alergênicas ou causadoras de alergias e intolerâncias. Nesses casos, é essencial que você procure adquirir uma proteína isolada do leite que seja isenta desses ativos. Além disso, vale lembrar que o sabor final de um produto tão puro assim não deve ser muito agradável mesmo, ou seja, se você estiver tomando uma proteína do leite com sabor adocicado ou de frutas, por exemplo, desconfie que a ele tenham sido adicionadas algumas das substâncias citadas acima.

    O que você precisa saber sobre o método de extração da sua proteína do leite?

    Existem vários métodos de extração da proteína do soro do leite e cada um deles origina um produto diferente, com características específicas, que interferem na sua composição final e, consequentemente, nos efeitos no seu organismo. O método de microfiltração por fluxo cruzado (crossflow microfiltration) é aquele que permite a obtenção de um produto com os maiores teores de proteínas e com proteínas em melhor estado de conservação, ou seja, suas proteínas não são desnaturadas durante sua produção, apresentando, no final, melhores condições de serem aproveitadas pelo seu organismo (maior biodisponibilidade).

    E por falar em teor de proteína, é essencial que você se informe também sobre a concentração real de proteínas presentes na whey protein que vai tomar. Quando falamos sobre as doses indicadas, estamos nos referindo às doses de proteínas propriamente ditas. Entretanto, alguns produtos disponíveis no mercado são resultados de uma mistura intencional de proteínas e carboidratos, açúcares como maltodextrina e dextrose, que reduzem o teor final de proteínas e barateiam os custos com sua produção. Para não ser enganado, avalie a composição da sua whey protein, analisando o teor de proteínas declarado no rótulo. Uma whey com 90% de proteínas é um bom exemplar e contém, assim, 13,5 gramas de proteína para cada porção de 15 gramas do produto. Saber essa informação é fundamental para que você consuma a sua quantidade ideal de proteína!

    E quanto você deve tomar da sua proteína do leite?

    Quando pensar em doses usuais de proteínas, você deve se atentar para 2 fatores diferentes: a quantidade total de proteínas que você ingere ao longo do dia, considerando as proteínas presentes na sua dieta mesmo (nas carnes, nos ovos, no feijão e etc.) e a quantidade de proteínas que você vai adicionar (suplementar) a sua dieta, na forma de whey protein, por exemplo.

    As doses recomendadas para as proteínas totais da sua dieta vão de 0,8 a 2,3 gramas para cada quilo de peso corporal, por dia, dependendo do seu nível de atividade física, ou seja, 0,8g/Kg seriam indicados para uma pessoa sedentária e 2,3g/Kg, para um fisiculturista. Se você pesa, por exemplo, 70 quilos, pode consumir entre 56 e 161 gramas de proteínas (todas da sua dieta) ao longo do dia, variando em função do nível de atividade física que pratica. Sendo assim, é preciso saber quanto de proteína você ingere por dia, usualmente, para que essa quantidade seja descontada do valor indicado conforme sua atividade física e seu peso, e se descubra o valor de whey protein que você deve suplementar. Nesse sentido, fica claro que cada caso deve ser avaliado individualmente, pois cada pessoa possui necessidades específicas, e sua dieta deve ser avaliada minuciosamente por um nutricionista, profissional habilitado para esse tipo de avaliação. Para não errar na dose, procure um profissional de saúde habilitado!

    Como você pode usar a sua proteína do leite?

    Uma maneira bastante prática e saborosa de utilizar a proteína do leite é em forma de shake. Para isso, basta bater a dose desejada do pó (a proteína do leite vem em forma de pó) em um copo de água, suco, leite de vaca ou de castanhas e uma fruta (a banana é umas das que mais combinam) e tomar uma, duas ou três vezes ao dia. Você também pode adicionar sua proteína do leite no iogurte, na salada de frutas ou em diversas preparações diferentes, adequando a suplementação ao seu dia-a-dia e ao seu paladar. Os horários preferenciais são com estômago vazio e/ou logo após a atividade física. Hoje já se sabe que fracionar essa ingestão otimiza os efeitos da proteína. Assim, o ideal é fracionar a dose diária total em 2 ou 3 vezes de 15 a 20 gramas cada uma.

    Leia mais